segunda-feira, 3 de agosto de 2015

Expressão "Tabaco Vivo" - Diferentes tipos de tabacos e sua guarda - Método de Guarda!



Termo "tabaco vivo"

Muito utilizado no mundos dos vinhos para expressar seu caráter vivo, ou seja, de permanecente evolução ou retrocesso, esse termo "vinho vivo" aplica-se igualmente ao mundo dos tabacos! 

Assim como o vinho vai se modificando ao longo do tempo, o tabaco também. Não se iludam, o seu tabaco guardado na latinha está vivo, em permanente processo de modificação, para melhor ou para pior, infelizmente!


Tempo de guarda

Tal qual o vinho, cada tabaco tem uma estrutura que o qualificará para determinados anos de guarda, ou seja, um tabaco com pouca estrutura envelhecerá por uns 3 anos e depois começará seu declínio; outros com mais estrutura aguentarão quem sabe 10 anos, 15 anos?! Como definir um tempo certo de guarda, como abrir a latinha na hora certa para usufruirmos o seu melhor, o seu cume? 

Realmente não é uma tarefa fácil, pois poderemos estar envelhecendo um tabaco que não tem estrutura para tantos anos e ao abrirmos o mesmo esfarelar, não ter o sabor tão almejado e ser simplesmente decepcionante, afinal, você esperou 10 anos para provar água, algo ressecado, insosso, insípido!!! E acontece, vejo muitos confrades com tabacos de 15 anos ou menos e ao abri-lo ser uma decepção sem tamanho!


Virgínias



Determinados tabacos aguentam mais a guarda e ganham mais com ele, é o caso dos virgínias, possuem grande estrutura - em regra -  e um bom grau de açucares que o permitirão avançar no tempo e ganhar com ele, maturar sem perder sabor, aliado, geralmente a uma boa umidade! Aqui estou considerando uma mistura que tenha uma quantidade elevada desse tabaco, portanto, uma pitada de perique, de latakia, de burley não interferirá em sua estrutura, somente irá dar complexidade para a maturação. 

Sinceramente, para mim e pelos comentários que vejo de confrades abrindo tabacos antigos, os virginias são os tabacos que mais ganham com o tempo, então, na minha adega, no quesito guarda, os mesmo tem prioridade! :) 

Latakia

Eis uma das grandes controvérsias do nosso meio, há quem afirme que latakiados - misturas inglesas e até balcânicas com latakia- podem envelhecer com qualidade durante anos, quiçá 10 anos ou mais, eu, porém, tenho minhas restrições! 

Um dos fatores é que se constituem misturas mais secas e isso interfere durante os anos de guarda para um bom envelhecimento. Outro detalhe é que a latakia pelo seu processo tende a perder sua força com o tempo, seu sabor vai se perdendo aos poucos, mas continuamente com os anos, deixando-a mais ressecadas e com menor acento em seu sabor. Acredito que latakiados ganham em até 5, no máximo 7 anos! Claro, aqui temos de analisar o blend e o gosto pessoal de cada um. Explico.

Uma mistura inglesa encorpada em latakia, certamente no decorrer dos anos vai perdendo aos poucos o aroma e também o sabor da latakia aliada ao fato de ser uma mistura mais seca vai ressecando naturalmente e tentando absorver a umidade dos demais tabacos. Aqui o tempo de guarda, seria no máximo uns 5 anos. 

Uma mistura inglesa leve a média, onde se espera encontrar bons nuances de orientais, o sabor do virginia aliada ao latakia, tende a arredondar com o tempo devido sua maior complexidade, porém, também acredito que seu tempo seria de no máximo 6 a 7 anos!

Aqui o corte do blend é fundamental, um corte shag, aliado a um tabaco seco latakiado certamente tem menor estrutura que um flake ou mesmo um corte mais grosso/espesso. Também seria necessário avaliar o virginia e os orientais da mistura, para saber seu potencial de guarda, bem como a umidade do blend!

Aromatizados

Tabacos aromatizados são para serem consumidos jovens! O bom aqui é pegar o seu frescor, a sua jovialidade, inclusive em função da química empregada! Tabacos aromatizados são para serem abertos e consumidos em um breve espaço de tempo, sua vida em lata e mesmo depois de aberto é curta, salvo raras exceções.


Bulks - pacotes


Tabacos comercializados em bulk, pacotes, não são feitos para serem envelhecidos! Inevitavelmente por mais que o pacote tenha sido vedado, sua vedação é precária e o ar entra. Considerando ainda que a maioria não é vedada a vácuo, então já viu!

Interessante que vejo pessoas adquirindo tabacos famosos antigos em bulk, tabacos com pelo menos uns 7 anos e ao abri-lo, não raras vezes o tabaco está tão ressecado que o sabor havia se perdido há anos! Resultado, começa-se a tentar umidificar o tabaco, porém, sem exito, pois o que se perdeu, perdeu-se para sempre em matéria de sabor.


Método para avaliar a estrutura do blend e sua guarda!

Prezados, particularmente antes de decidir por guardar qualquer blend por anos costumo primeiro prová-lo! Sim, o requisito número um é gostar do tabaco! Infelizmente ou felizmente não se pode/deve guardar um tabaco sem ter certeza de sua estrutura e o segundo passo é avaliá-lo, principalmente se o mesmo vai ganhar com o tempo. Nessa altura, recordo-me, salvo melhor juízo, da frase do Gregory L. Pease que afirma que tabacos bons ganham com o tempo, tabacos ruins perdem mais ainda!

Portanto, é necessário gostar do blend e depois analisar sua estrutura para então decidir pela guarda!

Aconselho depois de ter experimentando e ter verificado a estrutura a comprar 2 latas do tabaco escolhido, para no 3º ou 4º ano de guarda avaliar se o tabaco resiste por mais tempo, se efetivamente ganhou, se vai ganhar mais ainda, ou se já está no ponto para ser degustado, ou, conforme o caso, se deve ser envelhecido ainda por mais tempo e já avaliar esse tempo.

Conclusão

Confrades, relatei aqui palavras despretensiosas, sem querer ser o dono da verdade, sem base cientifica alguma, apenas balizado na minha modesta experiencia, aliado as conversas que tive com alguns veteranos. Claro que além de todos os pontos que relatei, poderia ficar traçando inúmeros paralelos, como o fato de que um tabaco com maior complexidade e profusão de sabor tende a ganhar mais que o tabaco monocromático, como que um tabaco mais úmido e prensado a quente envelheceria melhor, etc. Todavia, minha intenção foi tecer linhas gerais, adiante entrarei em mais detalhes, inclusive em relação ao Vaper que não mencionei, pois o perique e seu envelhecimento é um caso a parte!

Espero que tenham apreciado e desculpem tantas linhas!

Um abraço e excelentes cachimbadas!!!

6 comentários:

  1. Salve, Rovian! No caso dos bulks, se o tabaco for transferido para um pote hermético, as propriedades dele não se mantém a ponto de serem envelhecidos?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá confrade, acredito que não, primeiro pelo fato que o bulk o tabaco não vem a vácuo, sofrendo constante troca de ar prejudicando o tabaco desde a origem e segundo pelo fato que caso coloque no pote hermético dificilmente poderá deixa-lo no vácuo para ele ir sofrendo o processo de envelhecimento adeguadamente.

      Claro, estou falando em anos, um pote hermético serve muito bem para guardar o tabaco sem prejudicá-lo, porém, para se obter os bons efeitos do envelhecimento, acredito que fique prejudicado!

      Mas essa é minha opinião ;)

      Um abraço e excelentes cachimbadas!!! :)

      Excluir
  2. Salve, Rovian! No caso dos bulks, se o tabaco for transferido para um pote hermético, as propriedades dele não se mantém a ponto de serem envelhecidos?

    ResponderExcluir
  3. Respostas
    1. Obrigado confrade, fico muito feliz que tenha apreciado! :)

      Excluir
  4. Confrade Rovian,
    Concordo plenamente, recentemente abri um R.Yacht, depois de 5 anos e...que decepção, sem gosto e sem aroma. Foi pro lixo.
    Me surpreendi com o black XX, twist, comprei duas latas, depois de 3 anos, a segunda estava muito melhor, em sabor, aroma e queima.
    Abraços.

    ResponderExcluir

Gostou do post? Acenda seu cachimbo e comente